Dados devem ser foco na construção de um novo varejo

Tecnologias ajudam a conhecer melhor o consumidor

O varejo vive hoje, o Varejo 4.0, chamado de Disrupção Digital. Nele, o ambiente do ponto de venda (PDV) deve criar uma experiência diferenciada e os clientes precisam ser o centro de tudo o que é pensado. No digital, o importante não é somente ter uma boa plataforma de e-commerce com entrega em domicílio. Mais da metade (53%) dos consumidores se interessam por comprar on-line e buscar seus itens na própria loja.

 

“A transformação digital do varejo não é só colocar um e-commerce, mas transformar a empresa para multiplicar seus ganhos”, comenta o cofundador e CEO da Pandora Digital e professor da ESPM, Alexandre Marquesi.

 

Ou seja, a revolução tem de ter aplicabilidade. Tem de ajudar no operacional, na rentabilidade ou na experiência do cliente. Do contrário, torna-se somente um investimento em tecnologia sem que haja resultado.

 

Para que as expectativas sejam atendidas, a jornada do consumidor precisa ser construída com informações. Não é à toa que o Big Data seja uma das tecnologias mais procuradas. Usar os dados disponíveis para conhecer melhor o shopper e atendê-lo melhor é um dos principais diferenciais.

 

“O varejista deve pensar em omnichannel e levar experiências consistentes com os clientes em todos os canais em que atua. Além disso, precisa pensar em interfaces para os seus processos, criando decisões automatizadas”, frisa Marquesi.

 

Esse será um dos assuntos abordados no Summit de Inovação e Saúde.

O que achou deste conteúdo?

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

voltar ao topo